A lenda de Rafoel

17 out

Eu tenho um amigo que se chama Rafoel.

Nos tempos de outrora, Rafoel não tinha dinheiro, gostava de música e tinha acesso a internet. Do meu ponto de vista como amigo, Rafoel fez algo imperdoável. Na época ele não percebeu a gravidade de seus atos, mas posteriormente, súbita como uma lâmina vindo por baixo numa parede de escudos, a realidade o atingiu.

Rafoel baixou músicas ilegalmente. Eu o repreendi por isso, mas o estrago já estava feito.

Rafoel ficou ouvindo suas músicas e teve grandes momentos de felicidade com elas, porém um álbum em particular continha algo especial. A última música estava corrompida (Rafoel foi atrás de várias outras versões para poder confirmar isso) e tinha uma falha num solo de guitarra mais para o final.

A música era “Damage, Inc.” e o álbum era Master Of Puppets.


Veja bem, Rafoel acha esse álbum tão bom que segundo uma conversa que tivemos em algum momento sublime de nossa bela amizade, “é a prova material de que existe um deus e ele nos quer o bem”. Obviamente não foram poucas as vezes que Rafoel ouviu esse álbum. Eu poderia até arriscar um português mais rebuscado e dizer que Rafoel chafurdou na ilegalidade.

Mesmo percebendo a falha na última música, Rafoel não baixou o álbum novamente. Isso seria repetir um erro e Rafoel não queria ganhar mais estrelas e aumentar seu nível de procurado. Baixar o álbum uma vez foi o bastante para ele. Se estava corrompido, ele apenas teria que lidar com isso.

Conhecendo aquele jovem tão bem quanto conheço, Rafoel até pode ter interpretado que essa falha da música foi proposital. Uma forma de punição do universo, talvez.

Wyrd bið ful ãræd.

A vida as vezes nos pega de surpresa e acaba com coisas que pensávamos ser eternas. Rafoel e eu tivemos discussão sobre qual seria a cena mais engraçada de The Office, guardamos mágoa e acabamos nos distanciando. Recentemente após ele escapar da morte, Rafoel e eu voltamos a conversar. De início, muito timidamente, mas com o tempo acabamos acertando nossos *ponteiros.

Entre troca de selfies e palavras bonitas, perguntei a Rafoel se ele ainda ouvia Master Of Puppets. Rafoel respondeu que “sim” e completou dizendo que “seria estupidez parar de ouvir sons de uma beleza arrebatadora”. Em seguida, Rafoel me disse que tinha testado um desses serviços de streaming e depois de ter certeza de que era bom, fez uma assinatura, adicionou coisas incríveis em sua biblioteca e apagou todos seus arquivos ilegais.

Gosto de pensar que Rafoel percebeu o tamanho de seu erro poucos segundos depois de terminar de eliminar os arquivos ilegais e então gritou assustado enquanto corria nu pela casa, mas não tenho provas disso.

Acontece que por ter sido um arquivo corrompido durante o download, provavelmente aquele mp3 de “Damage, Inc.” era único. Ao eliminar ele do computador, Rafoel fatalmente o eliminou de sua vida.

Master Of Puppets nunca mais foi o mesmo. De maneira alguma se tornou inferior, claro, mas com toda a certeza  se tornou menos mágico.

A falha num solo de guitarra mais para o final da música nunca mais será ouvida, mas Rafoel jurou para mim que tampouco será esquecida. Sempre que ouve o álbum e chega na parte onde deveria estar a falha,  Rafoel fecha os olhos tal qual um velho guerreiro em sua fortificação na costa da Nortúmbria relembrando de seus dias de glória quando era jovem, forte, rápido e temido. Rafoel se lembra da falha e sorri.

Infelizmente não pode ficar tanto tempo nessa nostalgia, pois por ser a última música do álbum, ele logo precisa escolher outra coisa para ouvir.

É o jeito de Rafoel lidar com problemas: escolhe o próximo com sabedoria e lida com ele.