Finais interpretativos

9 jan

 

Lembro de não estar entendendo muito bem o motivo das pessoas estarem discutindo vorazmente o final de Inception e de darem tão pouca atenção ao restante do filme. Baita filme massa e a galera só queria saber sua opinião sobre o final. Como se o restante do filme não tivesse importância sem um bom final.

De certa forma, é compreensível. Quantos filmes e quantas séries (Lost, estou olhando pra você) não tiveram seus brilhos reduzidos pelo final ter sido inferior a todo o resto? Hoje reconheço essa importância, na época nem tanto.

“A cicatriz não incomodara Harry nos últimos dezenove anos. Tudo estava bem.”

As histórias precisam de um fechamento e as pessoas precisam de um final. É inconcebível terem assistido Inception, curtido o filme e ficarem em dúvida com o final. Elas precisavam de um final definitivo e o filme não deu isso a elas. Por isso precisavam discutir. Precisam mostrar seus pontos, discordar de argumentos contrários ou até mesmo se convencerem por outra pessoa. O filme precisava de um final.

Lembro de ter assistido, curtindo muito, chegar no final, ver a cena do peão rodando, entender o que significava ele não cair e começar a torcer para o maldito cair logo antes que a cena acabasse. A cena acaba com o peão ainda fazendo o que peões normalmente fazem.

A cena não te dá certeza alguma, você precisa fazer o final. Odiei o Nolan por isso, mas aceitei o desafio e fiz o que ele propôs. Pra mim, o peão cai. Foi o final que escolhi. O Rafael de 10 anos no futuro pode escolher outro final. Ou o Rafael de 10 anos no futuro pode ter tanto dinheiro a sua disposição que estará se divertindo tanto pelo mundo que nunca mais pensará nesse filme.

huell-money-breaking-bad-e1380544001215

o rafa do futuro

 

Acabei passando a imagem de não gostar desses finais interpretativos, mas veja só, acho que preferia ter tido mais um deles.

Em Batman – The Dark Knight Rises, o filme acaba com o Batman, até então, morto e com o Alfred passando umas férias longe de Gotham. O Alfred está tomando um café e em algum momento ergue a cabeça, olha para a frente e vê algo que prende sua atenção. Eu provavelmente teria explodido e jurado ódio eterno ao Nolan (sempre ele), mas o final seria formidável se acabasse nessa cena. Diferente de Inception, ele preferiu continuar e não deixar dúvidas. Fez questão de mostrar o Bruce Wayne também tomando um café um pouco mais a frente do Alfred. Mesmo se o Bruce não aparecesse, você iria saber o que significava aquela expressão no rosto do Alfred e na real, não mudaria nada, mas de alguma forma, fez toda a diferença.

Tem um Nerdoffice em que o Jovem Nerd comenta sobre isso:

(pule para 13:01)
 

Estou falando desse negócio de finais interpretativos porque hoje (quando comecei a escrever esse post) lá pelas 2 da manhã minha namorada quis discutir o final de A Piada Mortal e acabei pensando em tudo isso por consequência.

Não sei se gosto de finais interpretativos, mas ainda assim sou obrigado a lidar com eles e meu jeito é sempre o jeito certo, então só para constar:

Inception: peão cai.
Batman – A Piada Mortal: Batman mata o Coringa (e sim, a Barbara Gordan é estuprada).
gfdg

ABS!