Musica de Quinta #1 – Leilão – Cesar Menotti e Fabiano

19 abr

Já a algum tempo tenho pensado em um espaço musical aqui no BEC, mas queria fazer algo bárbaro. Nada de “musica do dia” ou “musica para começar bem a semana” ou “musica para enlouquecer seu macho”. Não. Algo de beleza indescritível.

Ultimamente tenho prestado mais atenção do que o normal para as letras de musicas e percebi que muitas delas não fazem o menor sentido ou na melhor das hipóteses, são engraçadas.

Depois de chegar do trabalho (muitas outras pessoas colocariam “chegar cansado do trabalho”, mas sou um espartano e não me canso) por algum motivo, queria ouvir Leilão do Cesar Menotti e Fabiano. Musica que carrega muitas lembranças. Lembranças de uma vida melhor.

Fui no Youtube, procurei pela maldita e achei. Foi ouvir e senti a magia entrando pelo meu corpo.

É basicamente a história de amor mais foda e bizarra de todas.

Leilão – Cesar Menotti e Fabiano

Estou a beira da loucura
Ninguém mais me segura
Tô fora da sua vida
Eu já fui

OK, logo no começo percebemos que o “eu lírico” está numa fase ruim. O coitado está na beira da loucura. Digamos que o eu lírico seja o carro e pra baixo seja o estado mental conhecido como “loucura”:

Ah, amigo. O que você fez da sua vida?

 

E pra melhorar a situação, se nosso amigo cair, ninguém mais o segura. É pra acabar de vez.

Acredito que o “Tô fora da sua vida” seja uma mensagem clara. A “vida” é logicamente a pista. Ou seja, ele está fora da pista, por isso está na beira do abismo (que sabemos ser a loucura). O “Eu já fui” quer sabiamente dizer um “Adeus”. O carro caiu no abismo. O Eu Lírico está na loucura.

Quero a minha liberdade
Posso até sentir saudades
Sei que custa dominar o coração
Mas meu amor não dá mais
Pra você tanto faz
Eu me entrego
Eu já fui

É aqui que percebemos o quanto as coisas estão piores do que imaginado. Vamos chamar o Eu Lírico de “Laurent”? Um nome fabuloso e de alto garbo. Bom o Laurent após cair de carro na louc… digo, abismo, ficou preso lá embaixo.

Será se ele teve que comer a própria perna pra se manter vivo? Vamos torcer que sim.

Como imaginado, o abismo era alto o sulficiente pro Laurent sentir saudades de quem quer que tenha esmagado seu coração.

Na frase “Sei que custa dominar o coração” claramente percebemos que o “coração” é um outro modo de dizer “monstro que me impede de subir a montanha”. Ah, é difícil dominar o monstro, não?

O Laurent ao perceber que não vai conseguir fugir de lá, acaba desistindo e diz que não dá mais. Magoado, diz que tanto faz. Ele se imagina entregue aos aconchegantes braços da morte e mais uma vez nos lembra que ele já foi. Já foi pra loucura, claro.

Eu quero a felicidade
Saber na verdade
Quem gosta de mim

Nesse trecho, acredito que antes dele morrer tenha decidido morrer feliz e pra alcançar essa tão sonhada felicidade, precisa saber quem gosta dele. Ah, que lindo.

Eu vou fazer um leilão
Quem da mais pelo meu coração
Me ajude voltar a viver
Eu prefiro que seja você

O gênio que nos escreveu essa música, usou de uma tática que o George R.R. Martin usa em As Crônicas de Gelo e Fogo. Diz que algo importante aconteceu, mas prefere não narrar o acontecido. É util.

Muito pode ter acontecido com o Laurent. Prefiro imaginar que ao decidir morrer, ele tenha mordido o pé do monstro e o monstro para se vingar, arremessou uma LANÇA no braço esquerdo do Laurent. Não o matou, mas acabou com  o braço.

Pensando como um criminoso e agindo pelo submundo da parte de baixo do abismo, o Laurent resolveu procurar um novo braço esquerdo, mas onde? No Mercado Negro.

Sim, comprar partes de corpos em bom estado/usado/pouco usado é no mercado negro. Mas como ele iria comprar? Com dinheiro. Qual dinheiro? O dinheiro que ele ganharia no leilão pelo seu próprio coração!

SIM, amigos. Mostrando um nível de loucura extrema, o Laurent decidiu leiloar o CORAÇÃO para comprar um novo BRAÇO. Esse Laurent não é fácil, viu.

Segundo meus informantes, um coração humano em bom estado, pode valer mais ou menos 220 mil. Acho que é dinheiro sulficiente até pra fazer um braço nascer no meio da testa.

O Laurent não contente em vender o coração, ainda quer escolher o comprador. Bom, ele talvez queira que seu coração seja bem tratado, por isso a escolha.

Eu vou fazer um leilão
Quem da mais pelo meu coração
Me ajude voltar a viver
Estou aqui tão perto
Me arremate para você.

Ele já estava louco e agora sem coração, começou a repetir falas, mas antes da história acabar, descobrimos que o comprador escolhido pelo próprio Laurent era alguém que estava ali por perto. Quem seria? Prefiro acreditar que o monstro foi o comprador.

——————————————————-

Bom, depois dessa fascinante e complexa musica, vou ali beber um café e pensar no que compraria com 220 mil. Até.