Música de Quinta #13 – Dona – Roupa Nova

11 jul

O mundo é um lugar sujo e frio. Mentiras estão por toda parte e tomei elas como de minha responsabilidade. Quero destruir todas as músicas que mentem para pessoas desavisadas. Dotado de um intelecto incrível, desvendarei as informações ocultas nas letras melódicas.

Você sabia que “Dona” do Roupa Nova faz apologia a escravatura?

 

 

Dona desses traiçoeiros
Sonhos sempre verdadeiros
Oh! Dona desses animais
Dona dos seus ideais

Dona? OK, estamos lidando com um exemplar do sexo feminino.

Aparentemente, a Dona é dona de uns traiçoeiros. Ainda é cedo demais para dizer o que os “traiçoeiros” são. Uma menina bonita já me indicou a leitura de Sandman, mas ainda não li, então não manjo dos sonhos. Peça desculpas, mas não sei interpretar os “sonhos sempre verdadeiros”. OK, a Dona tem ideiais. Isso é legal, mas que ideais seriam esses?

Pelas ruas onde andas
Onde mandas todos nós
Somos sempre mensageiros
Esperando tua voz

A Dona anda pelas ruas. Será se ela curte fazer caminhada? Particularmente, curto mais correr, mas eu sou jovem e a Dona por ser chamada de “Dona” já deve ter uma certa idade, então não a julgo.

Interessante. A Dona tem poder suficiente para mandar em alguém. A música não dá um numero exato, mas deixa claro ser mais de uma pessoa que recebe ordens da Dona.

Se eles são mensageiros, a Dona manda mensagens a outras pessoas. Quem seriam essas pessoas?

Está tudo muito complexo. Ainda é cedo para apontar algo, mas sinto que a Dona é dona de mensageiros que imitam sua voz no momento de entregar os recados. Legal, Dona.

Teus desejos, uma ordem
Nada é nunca, nunca é não
Porque tens essa certeza
Dentro do teu coração

Estou achando interessante essa história da Dona dar ordens a um grupo de pessoas. Seriam eles uma espécie de ceita religiosa e Dona a líder da ceita?

Para mim, pessoa experiente no mundo da música, está mais do que claro que as pessoas que recebiam ordens da Dona a conheciam muito bem. A amavam? Não sei.

Tan, tan, tan, batem na porta
Não precisa ver quem é
Pra sentir a impaciência
Do teu pulso de mulher

Eu diria que o tal grupo de pessoas que recebem ordens estava em uma sala e ouviram três batidas na porta. Sheldon?

Eles reconhecerem as tais três batidas e antes que a porta fosse aberta, já sabiam que era uma mulher. Será se Dona tem um pulso impaciente? Ela poderia fazer muitas coisas usando esse pulso…

Um olhar me atira à cama
Um beijo me faz amar
Não levanto, não me escondo
Porque sei que és minha
Dona!

Um dos integrantes do grupo (ou o grupo inteiro?) parece estar apaixonado por Dona, mas também parece ter um certo medo dela.

Não há pedra em teu caminho
Não há ondas no teu mar
Não há vento ou tempestade
Que te impeçam de voar

Dona parece ser uma mulher decidida. Parece que nada a impede de seguir em frente com seus planos.

Entre a cobra e o passarinho
Entre a pomba e o gavião
Ou teu ódio ou teu carinho
Nos carregam pela mão

Cobra, passarinho, pomba e gavião: seriam animais simbólicos de famílias? Tipo acontece com as casas de Hogwarts.

Dona parece não ter um meio termo. Ou está espancando pessoas e odiando tudo ou beijando flores e dançando forró.

É a moça da Cantiga
A mulher da Criação
Umas vezes nossa amiga
Outras nossa perdição

Dona parece exercer um fascínio entre os demais. Não sei de qual cantiga a música se refere e não sei o que é “a mulher da criação”, mas já não dou importância a isso.

O que me importa é: se Dona é dona dessas pessoas que a servem, isso faz dela uma senhora (ou dona) de escravos? Não me parece que eles tenham opções, por isso pensei na escravidão.

O poder que nos levanta
A força, que nos faz cair
Qual de nós ainda não sabe
Que isso tudo te faz
Dona! Dona!
Dona! Dona! Dona!

Já não tenho dúvidas. Dona é dona de escravos.

Nunca mais irei ouvir Roupa Nova.