Música de Quinta #5 – Despedida de Solteiro – Latino

4 out

Despedida de Solteiro – Latino

http://www.youtube.com/watch?v=WzHwVwHpOk8&feature=player_detailpage

Eu vou gozar a vida hoje em 24 horas
O mulherio já sabe que essa noite é toda nossa
Caçar e ser caçado na balada só gostosas
DJ turbine o som que o LP já tá na roda
A zona continua

 Essa parece ser uma daquelas histórias inovadoras, pensada minimamente para atiçar mentes alheias e até ouso dizer que também é futurista. Sim, amigos. Despedida de Solteiro do Latino é uma musica futurista. Talvez isso explique a enorme treta que ela deu.

Mas deixarei para identificar a real localização do Tempo e Espaço da musica no momento certo, agora quero entender essa história de “gozar a vida hoje em 24 horas”, pois por mais bizarro que seja o Latino, isso é socialmente inaceitável. Seria o resultado de uma contaminação biológica, evolução humana ou falha de Deus? Sem dúvida uma questão a se pensar. Anotei o tópico aqui no meu bloquinho e voltarei a ele depois. O mundo seria mais legal se fosse possível fazer isso em provas escolares. Ou provas olímpicas, sei lá.

Se bem que não importa se o “eu-lírico” foi contaminado, sofreu por causa de um efeito evolutivo ou falha do cara-lá-de-cima. O importante é que o “mulherio já sabe” e quando o mulherio sabe de algo, todos sabem. Creio que tenha ficado claro que “Mulherio” é o nome de uma organização que retém a responsabilidade de semear, ocultar e compartilhar informações com alguém.  Imagino que essa história se passe no futuro pós-apocaliptico e claro, todos sabem a escrotidão que é isso. Pessoas que conseguem um mínimo de poder sobre outros, acabam se tornando chefes de nada e por causa de algum problema nesse “nada”, centenas de histórias podem ser criadas. No meu caso, o “nada” será uma espécie de máquina do tempo.

Isso, aliás, explicaria a questão da musica ter um tom futurista. Ela veio do futuro, afinal, e digo mais: não é uma musica. Deve ter sido uma espécie de bilhete e Latino (talvez um agente infiltrado?) usando de sua inteligência ímpar, fez com que o tal bilhete tivesse características musicais, mas ainda assim reservasse a informação nele contidas. Para quem seriam essas informações, ainda não está claro.

Latino é um agente de grande experiência. Não é mul3k3 (em alguns lugares só “leke”) e sabe que está sendo seguido. Parece que ele entrou em uma balada para tentar despistar os perseguidores e seu primeiro comentário sobre a balada foi “só gostosas”. A experîência é algo único. Outros agentes menos treinados e menos usados em missões, poderiam tentar identificar suspeitos e saídas de fuga, mas Latino é diferente, é unico! Ele identifica as gostosas.

Me considero uma pessoa razoavelmente inteligente, mas tive uma certa dificuldade em quebrar o código da seguinte frase:

DJ turbine o som que o LP já tá na roda

Sim, difícil. Depois de muito pensar, cheguei a conclusão que “DJ” e “LP” são uma espécie de identificação. Se são iniciais ou codinomes, ainda não sei, mas ficou claro que rolou uma certa confusão na balada. Teria Latino dado em cima de uma morena e acabar por perceber que é um travesti?  Teria Latino sido atacado? Teria começado a tocar Leilão do César Menotti e Fabiano na balada?

Talvez seja possível descobrir na próxima estrofe. Por enquanto, Latino está no meio de uma confusão em uma balada no futuro e a zona continua. 

Não pare
Não po-pare
As minas todas nuas
As latinetes de topless e de bumbum pra lua
E eu na captura virando uma presa sua
Ninguém me segura

 Ah, pelos arcanjos. Quão formidável essa história está se tornando. Agora, acaba de ser inserido “nudez”. Sim, as minas estão todas nuas e não podem ter simplesmente passado de “vestidas” para o estado de “nudez”. Tiveram que tirar a roupa e deve ter sido nesse momento que Latino soltou o “Não pare, não po-pare”. Se começou a tirar a roupa, termine.

Quanto a “latinetes”, temos aí uma referência clara a armamento militar. Assim como os saxões de As Crônicas Saxônicas, a patota de O Senhor dos Anéis, os anjos, arcanjos e demônios de A Batalha do Apocalipse e tantos outros personagens de inúmeras histórias, Latino batizou sua arma. É algo digno e respeitável. Eu mesmo batizei minhas armas em Skyrim. Tudo bem que elas não se chamam Latinetes, mas matam. Ao perceber o plural, fica claro que Latino usa mais de uma arma. Eu apostaria em um par de Desert Eagles, Algo no estilo Lara Croft, sabe?

Ao dizer que as Latinetes estão de “topless e de bumbum pra lua”, Latino quis dizer que está atirando em duas direções. Aquelas em que ele está sendo atacado: pela frente e por cima. É preciso uma certa m4l4ndr4g3m para pegar algumas referências.

Latino está para ser capturado. Mesmo os mais experientes agentes tem seu dia de azar e chegou o dele. Está “virando uma presa sua”, mas por enquanto existe esperança: ninguém o segura.

É despedida de solteiro
Amanhã talvez eu vá casar
Eu tô chapado
Tô muito louco
E a ressaca vai me matar
Eu ligo um “dane-se”
Eu quero só beijar, brincar de te laçar, laçar

Ah-ha! Mas que ótima estratégia, Latino. Ao perceber que iria ser capturado, o agente mais sagaz de todos os tempos, se passou por um noivo que estava curtindo sua despedida de solteiro e que claro, iria se casar amanhã. Ou melhor, talvez fosse se casar amanhã. Para explicar seu comportamento estranho (sacar duas Desert Eagles e começar a atirar), Latino disse que estava chapado, muito louco e que a ressaca o iria matar.  Esperto. Com a histórinha da ressaca, tentou ganhar a simpatia de seu inimigo.

Talvez tenha percebido que sua atuação não convenceu e que iria ser atacado do mesmo jeito, V1d4 l0k4 que é, tocou o “dane-se” e partiu pra cima”. Diria que com “eu quero só beijar”, ele fez uma brincadeira com seu par de Desert Eagle: imagine você levando um ~beijo~ de uma dessas:

Não contente com o beijo, Latino queria laçar ou “amarrar” seu inimigo e talvez conseguir algumas respostas.

Laçar, puxar, beijar
Vou te pegar
Laçar, puxar, beijar
Pra galopar
Só pra galopar

 Excelente descrição de luta.

Hey, eu quero sexo
Vou te pegar
Hey, eu quero sexo
Pra galopar

Imagino o Latino dando tiros ao léu com seu par de Desert Eagle e gritando “HEEEEEEEEEEEEEEEEEEEI, EU QUERO SEXO!”. Épico demais. Torcendo para sair um filme dessa história.

Te lacei
Vem cá, meu peixe grande
Baby baby, keep cook
Eu tô eletrizante
Amanhã é o “Dia D”
Preciso aproveitar
Convida as amigas pra gente zuar, galopar, galopar

Como toda xícara de café, a história tem seu fim. Latino conseguiu laçar o meliante e tirará informações dele através de tortura. Não percebeu? É isso que “Eu tô eletrizante” quis dizer. Importante também é deixar claro que amanhã, no dia do casamento, algo muito importante irá acontecer. “Dia D” não é usado para denominar qualquer coisa, mas de que importa isso? É só convidar as amigas pra zuar, galopar e galopar e de nada importará o Dia D.

~~~

Estou triste e feliz. Triste pois não sei como foi o final dessa história: talvez Latino esteja morto e não tenha tido tempo de terminar o bilhete, logo não teríamos o final da musica. Feliz pois Latino pode estar em Os Mercenários 3.