Preciso de mais pedras

17 nov

Quando mais jovem, dediquei muitas horas a jogar Age of Empires.

O PC que eu tinha não era bom (isso ainda vale para os dias de hoje) e não rodava muitos jogos (isso também vale para os dias de hoje). Age of Empires felizmente rodava lindamente.

Eu gostava do II, mas uma hora cansei dele, pedi para meu pai comprar o III, percebi que o II era muito melhor e percebi que na verdade não tinha cansado do II, não. Voltei a jogá-lo e deixei o III de lado.

Muitos impérios foram construídos e destruídos. Incontáveis árvores foram derrubadas e rios de sangues foram formados. Flechas cobriram o sol e valentes soldados lutaram na sombra.

Existem jogadores que logo no começo já focam em fazer um exército e atacar enquanto seus inimigos ainda estão fracos. Não é uma estratégia ruim, mas não é meu jeito de jogar.

Primeiro faço o cabo da espada. Quando o cabo estiver bom e firme, eu parto para a lâmina.

Em outras palavras: crio um contingente de aldeões, peço para eles devastarem tudo que for possível e quando as florestas deixarem de existir, o rio não tiver mais peixe, as minas de ouro e pedra estiverem vazias e quando não for possível andar pelas minhas terras sem que se pise em uma plantação, eu ataco.

Guerra não é algo barato. É necessário o tipo de apoio e segurança que só a riqueza pode oferecer.

Semana passada aproveitei que Age of Empires II em HD estava em promoção na Steam e o comprei. Fui jogar um pouco só para matar a saudade e quando dei por mim estava sendo atacado por duas frentes e por dois inimigos diferentes (imagino que eles ficaram impressionados com o quão promissora minha sociedade estava e tenham feito uma aliança por medo).

Eu não poderia só sair do jogo. Eu teria que vencer ou morrer tentando. Morri tentando.

Culpo as pedras. Ou a falta delas, pelo menos.

Age2

O mapa me jogou num lugar com apenas um lugar com pedras por perto. Se quisesse mais, teria que entrar fundo demais nas florestas do inimigo e seria arriscado.

Sem pedras, pensei em usar o mercado para comprar por lá, pois eu precisava das pedras se quisesse construir um castelo e sempre quero construir castelos, pois são castelos e gosto de castelos.

Revoltado com o preço que estavam me cobrando por 100 unidades de pedra, desisti e até pensei em excluir o mercado para mostrar o quão revoltado estava, mas lembrei que no ritmo que as coisas estavam, o mercado seria destruído de qualquer forma. Eu estava sendo atacado mais uma vez.

Bati o olho e altamente treinado que sou, já vi que não iria vencer mais aquela leva de inimigos. Mandei construir mais barcos, movi meu pequeno, porém glorioso, exército por uma rota diferente, evitando o exército inimigo, e ataquei as terras deles enquanto eles atacavam as minhas. Mandei meus barcos darem a volta e atacarem tudo o que pudessem na costa do adversário.

Por um momento achei que fosse funcionar, mas o inimigo era maior e mais firme. Conseguiram destruir mais do que meu exército no mesmo tempo. Se eu tivesse castelos, teria sido diferente. Castelos são muito mais resistentes que as outras construções.

E para se ter castelo, é necessário ter pedras.

Então, numa regra de três rápida, se eu tivesse mais pedras poderia ter levado essa.